Relatórios atualizam safra no Brasil e situação do trigo na Argentina

201

Porto Alegre, 9 de outubro de 2020 – O mercado brasileiro de trigo recebeu, nesta semana, relatórios de projeção da safra nacional e acompanhamento das lavouras do Brasil e da da Argentina. A Companhia Nacional do Abastecimento (Conab) e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) projetaram números parecidos, em torno de 6,8 milhões de toneladas, para a produção do Brasil neste ano.

Conab

A produção brasileira de trigo em 2021 deverá ficar em 6,833 milhões de toneladas, segundo o primeiro levantamento para a safra brasileira de grãos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), repetindo o número de 2020. A Conab indica uma área plantada de 2,334 milhões de hectares, também o mesmo número. A produtividade está projetada em 2.927 quilos por hectare, sem alteração.

IBGE

Conforme o IBGE, a estimativa da produção do trigo teve queda de 5,4% em relação ao mês anterior, mas ainda registra alta de 30,6% em relação a 2019, somando 6,8 milhões de toneladas.

A região Sul deve responder por 88,0% da produção tritícola nacional, e no Paraná, maior produtor (48,6% do total) estima-se uma produção de 3,3 milhões de toneladas, com queda de 4,4% em relação a agosto, mas alta de 55,8% frente a 2019. Com informações do Departamento de Comunicação Social do IBGE.

Paraná

O Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, informou, em seu relatório semanal, que a colheita da safra 2020 de trigo no Paraná atinge 73% da área cultivada de 1,114 milhão de hectares, contra 1,028 milhão de hectares em 2019, alta de 8%.

Conforme o Deral, 75% das lavouras de trigo do estado estão em boas condições, 21% em situação média e 4% em condições ruins. As lavouras se dividem entre as fases de crescimento vegetativo (1%), floração (9%), frutificação (37%) e maturação (53%).

A produção de trigo deve atingir 3,322 milhões de toneladas, 55% acima das 2,141 milhões de toneladas colhidas na temporada 2019. A produtividade média é estimada em 2.982 quilos por hectare, acima dos 2.205 quilos por hectare registrados na temporada 2019.

Rio Grande do Sul

A colheita do trigo atinge 2% da área no Rio Grande do Sul. O avanço semanal foi de 1 ponto percential. Em igual período do ano passado, os trabalhos chegavam a 2%. A média dos últimos cinco anos é de 4%.

As condições do tempo na semana foram distintas no estado; em algumas regiões, predominaram tempo seco, alta taxa de insolação, vento e grande variação de temperatura durante o dia. Tais variáveis diminuíram a umidade do solo e do ar, mas sem produzirem impacto expressivo para a cultura. Em outras, as chuvas regulares de baixa intensidade auxiliaram na elevação do teor de umidade do solo e contribuíram para melhoria dos cultivos. Nas região Sul, a queda acentuada de temperatura provocou a formação de geada de fraca intensidade nas baixadas, que não chegou a prejudicar as plantas.

Até o momento, 32% das lavouras estão em maturação, 58% em enchimento de grãos e 8% em floração. O desenvolvimento está em linha com a média dos últimos cinco anos.

Argentina

As lavouras de trigo da Argentina registraram aumento da área em déficit hídrico na última semana. Conforme documento divulgado há pouco pela Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 47% das lavouras estão em situação de regular a ruim. Na semana passada, eram 46%. Em igual período do ano passado, 25% da área estava nessa situação. As lavouras com condição de excelente a boa passaram de 8 para 13%.

Nesta semana, 47% das lavouras estão em situação de déficit hídrico. Na semana passada, eram 42% e, no ano passado, 50%. A projeção de área fica em 6,5 milhões de hectares.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA