Café fecha com perdas em NY com chuvas no Brasil e fatores técnicos

338

     Porto Alegre, 14 de outubro de 2020 – A Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) para o café arábica encerrou as operações desta quarta-feira com preços mais baixos.

     NY teve uma sessão volátil, testou níveis mais altos, acima de US$ 1,11 a libra-peso no contrato dezembro, mas não conseguiu manter estes patamares, fechando novamente abaixo de US$ 1,10. Fatores técnicos, com a falta de forças do mercado se manter acima destas resistências, foram decisivos para as perdas.

     Segundo o consultor de SAFRAS & Mercado, Gil Barabach, o mercado realizou parte dos lucros após a alta da última sessão. Ele indica que, apesar do mercado oscilar bastante, segue próximo do patamar de 110 cents/lb para o contrato dez/20. “NY continua mostrando fragilidade técnica e dificuldade de vencer resistências. Para quebrar essa lógica é preciso recuperar, com consistência, a linha de 110 cents, mirando na sequência os parâmetros de 200 e 100 períodos. E a partir daí escalar em direção às referências de 120 cents e 130 cents e ao topo gráfico em 135,45 cents”, analisa.

     Além disso, há os fundamentos com a observação do clima para a safra de 2021 do Brasil. As chuvas melhoraram as condições para a abertura e pegamento de floradas e se espera um melhor regime de chuvas em outubro e nos meses finais do ano. Por isso, Barabach diz ser difícil os avanços em NY e o mercado superar resistências, “uma vez que as chuvas no Brasil levam a um natural desmonte da proteção climática e trazem pressão adicional às cotações”.

     Os contratos com entrega em dezembro fecharam o dia a 109,60 centavos de dólar por libra-peso, desvalorização de 0,50 centavo, ou de 0,4%. A posição março/2021 fechou a 112,20 centavos, com baixa de 0,40 centavo, ou de 0,3%.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA