Chuvas nos próximos sete dias beneficiarão soja, cana e café – Somar

911

   Porto Alegre, 14 de outubro de 2020 – A chuva irregular sobre o Brasil neste início de primavera remete ao ano de 2007, quando também um fenômeno La Niña atrasou a regularização da chuva em boa parte do país. “Algumas consultorias indicam que o atual atraso na instalação de grãos é o maior em pelo menos dez anos”, disse o meteorologista Celso Oliveira, da Somar Meteorologia.

     No entanto, segundo Oliveira, Linhas de instabilidade trarão chuva às áreas de soja do centro e nordeste de Mato Grosso do Sul, sudoeste de Goiás, norte de São Paulo e oeste de Minas Gerais nos próximos dias. Conforme os mapas meteorológicos atualizados da Somar, as precipitações mais organizadas e intensas ocorrem entre hoje, quinta-feira e entre o domingo e a terça-feira da próxima semana.

    A umidade do solo aumentará em pelo menos 20 pontos percentuais entre o norte de São Paulo, Triângulo Mineiro e oeste de Minas Gerais, com acumulado de chuvas acima dos 50 milímetros em sete dias. A precipitação vem acompanhada de rajadas de vento e eventual queda de granizo. “Além de soja, culturas como laranja, café, milho e cana serão beneficiadas pelas precipitações mais intensa. Por outro lado, a chuva enfraquecerá sobre o Matopiba, Rondônia, Pará e norte dos Estados de Minas Gerais e Goiás pelos próximos sete dias, diminuindo a umidade do solo.

    Ainda, na última semana de outubro, há uma expectativa de aumento da quantidade de chuva sobre Rondônia, Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul, além da manutenção das pancadas de chuva sobre o Sudeste, Goiás e Mato Grosso do Sul. Por outro lado, a chuva permanecerá fraca sobre o Matopiba.

     “Apesar do aumento da chuva entre partes do Sudeste e Centro-Oeste, boa parte de Mato Grosso permanecerá sob chuva fraca e paralisação do plantio. Já existem áreas instaladas no pó e que deverão ser reinstaladas”,  salientou Oliveira.

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA