Açúcar avança 2% em NY com compras de fundos e incertezas na Índia

270

    Porto Alegre, 19 de outubro de 2020 – A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto encerrou o pregão eletrônico com cotações em alta.

     O mercado avançou impulsionado em parte pela incerteza quanto ao montante de subsídios à exportação que o governo da Índia concederá às usinas locais na safra 2020/21, recém iniciada.

     Conforme operadores ouvidos pela Reuters, compras por parte de fundos vem ajudando na recente escalada, que alçou as cotações para máximas de sete meses e meio, com dados da CFTC na sexta-feira apontando novo crescimento na carteira comprada, ou apostas de alta, desses agentes.

     A Green Pool, em nota, disse que a Índia exportou um recorde de 5,85 milhões de toneladas em 2020/21. Em meio à crise orçamentária provocada pela Covid-19, o ministério das finanças local avalia a situação para a nova temporada. A Índia precisa exportar seis milhões de toneladas em um ano no qual a produção vai crescer fortemente diante de um aumento na área cultivada com cana.

     A Associação das Usinas de Açúcar da Índia (ISMA, na sigla em inglês) divulgou nesta segunda-feira sua primeira estimativa para a produção de açúcar na temporada 2020/21 (outubro-setembro). O maior consumidor global de açúcar deverá produzir 31 milhões de toneladas na nova safra, elevação de quase 13% em comparação ao volume produzido na temporada anterior. O incremento se deve à expectativa de elevação de 9% na área cultivada com cana.

     A produção de açúcar só não será ainda maior por conta de um maior direcionamento de cana para a produção de etanol, salientou a entidade

     Conforme a ISMA, a Índia terá que exportar seis milhões de toneladas de açúcar em 2020/21, diante da expectativa de forte crescimento na produção e para reduzir o superávit de oferta interna. O país iniciou a temporada 2020/21 com estoques de 10,64 milhões de toneladas, abaixo dos estoques de 14,58 milhões de toneladas registrados um ano atrás.

    Os contratos com entrega em março/2021 encerraram o dia a 14,72 centavos de dólar por libra-peso, com alta de 0,29 centavo (+2%) em relação ao fechamento anterior. A mínima do dia foi de 14,36 centavos, e a máxima chegou a 14,75 centavos.

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA