Em alta, preço do algodão atinge melhor nível desde março de 2018

405

     Porto Alegre, 23 de outubro de 2020 – Seguindo o movimento das cotações de Nova York e buscando um ajuste à paridade de exportação, as cotações do algodão seguem o rally iniciado no final de setembro. Na média do CIF de São Paulo, a pluma fechou a quinta-feira (22) a R$ 3,85 por libra-peso, com alta de 2,67% em relação ao dia anterior e no maior patamar desde 8 de março de 2018. No dia 15, valia R$ 3,47 por libra-peso. Comparado ao mesmo período do mês e do ano passado, as altas eram de 22,9% e 52,5%, respectivamente.

     No FOB exportação do porto de Santos/SP, a fibra brasileira era cotada a 68,40 centavos de dólar por libra-peso (c/lb). Em relação ao contrato de maior liquidez na Ice Futures, a pluma brasileira estava 4,9% mais acessível. Há uma semana, esta diferença era de 11,0% e, a um mês, de 10,9%. “Esse estreitamento das cotações domésticas em relação às internacionais vem sendo sustentada, principalmente, pelo retorno dos compradores domésticos”, destaca o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento.

     Durante a fase mais crítica da pandemia, as fiações tiverem suas operações suspensas ou realizadas de forma parcial. “Como as vendas no varejo, mesmo que em menor volume, continuaram acontecendo, o mercado de fios ficou desabastecido”, explica. “Para atender a demanda imediata e recompor seus estoques, os compradores precisaram voltar de forma mais agressiva ao mercado e vêm impulsionando as cotações em direção à paridade de exportação”, completa.

     No cenário internacional, destaque para a Argentina, que deverá incrementar a área em 4,4% na safra 2020/21, somando 470 mil hectares, de acordo com relatório mensal divulgado pelo Ministério da Agroindústria do país. Na temporada 2019/20, foram cultivados 450 mil hectares, que geraram 1,1 milhão de toneladas.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA