Preço do arroz gaúcho perda força, mas segue em patamar elevado

252

     Porto Alegre, 23 de outubro de 2020 – Os preços gaúchos do arroz, principal referencial nacional, perderam um pouco de força na penúltima semana de outubro, mas seguem em patamares elevados. As atenções continuam voltadas ao plantio da nova safra. O dólar muito valorizado frente ao real se mantém como fator de suporte, pois encarece as importações do cereal – que são necessárias nesta temporada. A moeda norte-americana está na casa de R$ 5,60.

     A saca de 50 quilos tinha média de R$ 105,30 no dia 22 de outubro, ante R$ 106,35 por saca no dia 15. Em 30 dias, a baixa acumulada era de 0,85%. Frente ao mesmo período do ano anterior, a elevação chegava a 130,02%.

     O clima ajudou e os produtores gaúchos souberam aproveitar a semana para evoluir consideravelmente na semeadura de arroz. Uma prova disso é a regional Zona Sul do Estado, que já registra 92,18% dos trabalhos concluídos. Dos 160.284 hectares previstos na ZS, 147.752 ha estão semeados. Em relação ao levantamento anterior, apenas nos últimos sete dias foram semeados 56.858 ha na Zona Sul.

     Já no Rio Grande do Sul, já foram 619.112 ha (63,88%) de um total de 969.192 ha estimados. Os dados foram coletados pelas equipes dos Núcleos de Assistência Técnica e Extensão Rural do Irga junto aos produtores das seis regionais na quarta-feira (21).

     Do semeado até o momento no Estado, 215.933 hectares estão na fase de emergência (quando a planta começa a emergir, logo após a semeadura), enquanto 167.399 ha encontram-se na fase vegetativa (período de três a quatro semanas que vai da germinação da semente aos primeiros sinais da panícula). As informações são do Irga.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA