Com atraso no plantio de soja, perdas já são irreversíveis em Sorriso (MT)

684

     Porto Alegre, 28 de outubro de 2020 – Com chuvas irregulares e localizadas, o plantio de soja continua bastante atrasado em Sorriso, no norte do Mato Grosso. Segundo Sérgio Rubin, da Boa Safra, de atuação na região, que concedeu entrevista exclusiva à Agência SAFRAS, ainda não houve uma precipitação “parelha” na região.

     A área plantada está estimada em 60%, ante 30% na semana passada. Conforme o entrevistado, metade desta área foi semeada no pó ou as lavouras precisam de chuvas. “Ano passado, nesta época, faltava semear apenas 5% da área e o desenvolvimento era normal”, lembra.

     Neste contexto, as perdas já são irreversíveis para a oleaginosa. “O atraso também afeta o milho safrinha, que agora já vai ser colhido no dia 20 de fevereiro, que é o limite para não sofrer com a falta de chuvas no final do ciclo”, adverte. “Nunca tivemos um ano assim”, lamenta.

     Agora, há indicação de chuvas para o próximo final de semana. “O problema que já é o quarto final de semana com previsão, mas a chuva não vem”, frisa o entrevistado.

     Outro problema é que geralmente 70% da safra é colhida em janeiro. “Com o atraso, se tivermos 20% já é bastante”, ressalta. “Só em negócios antecipados, temos mais que isso”, destaca. “Mas isso será resolvido depois”, finaliza.

     Segundo a última estimativa de SAFRAS & Mercado, a área em Mato Grosso deve somar 10,21 milhões de hectares em 2020/21, com rendimento médio de 3.480 quilos por hectare. Na temporada passada, foram plantados 9.980 milhões de hectares, com 3.570 quilos por hectare de média. 

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA