Selic pode subir se âncora fiscal for prejudicada – Ata Copom

171

     Porto Alegre, 3 de novembro de 2020 – O Comitê de Política Monetária (Copom) avalia que alterações de política fiscal que afetem a trajetória da dívida pública ou comprometam a âncora fiscal irão motivar uma reavaliação da cláusula fiscal de sua prescrição futura (forward guidance), ainda que a regra sobre o “teto dos gastos” seja nominalmente mantida. A informação consta na ata da reunião de outubro do colegiado do Banco Central.

     No documento, o BC lembra que a cláusula fiscal de seu forward guidance condiciona a não elevação da taxa básica de juros à manutenção do atual regime fiscal. O Copom esclarece que uma eventual reavaliação sobre o nível da Selic levaria em conta o receituário do regime de metas para a inflação, baseado na inflação prospectiva e do balanço de riscos. Com informações da Agência CMA.

     Revisão: Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA