Sem oferta, plantio de soja segue no foco do produtor

253

     Porto Alegre, 5 de novembro de 2020 – A quinta deve ser de poucas alterações no mercado brasileiro de soja. Chicago segue subindo, tentando se consolidar acima de US$ 11. O dólar cai mais de 1%. Sem soja disponível, o produtor centra no plantio e o comprador mais necessitado procura alternativas de abastecimento no exterior.

     O mercado brasileiro de soja teve uma quarta travada e de preços praticamente estáveis e nominais. Sem produto, as atenções se focam no plantio e na compra de produto no exterior, incluindo aquisição nos Estados Unidos.

     Em dia de eleição nos Estados Unidos, o mercado financeiro internacional teve um dia tranquilo. Com isso, Chicago subiu, mas o dólar recuou.

     Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos seguiu em R$ 173,50. Na região das Missões, a cotação permaneceu em R$ 173,50. No porto de Rio Grande, o preço ficou em R$ 169,00.

    Em Cascavel, no Paraná, o preço baixou de R$ 178,00 para R$ 175,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca permaneceu em R$ 156,00.

    Em Rondonópolis (MT), a saca estabilizou em R$ 178,00. Em Dourados (MS), a cotação permaneceu em R$ 173,00. Em Rio Verde (GO), a saca seguiu em R$ 186,00.

CHICAGO

* Os contratos com vencimento em janeiro registram alta de 1,15%, cotado a US$ 10,98 3/4 por bushel.

* Na máxima do dia, janeiro já superou a casa de US$ 11 por bushel.

* A oleaginosa estende os fortes ganhos de ontem, quando o bom humor tomou conta dos mercados em geral.

* Hoje, os mercados acionários asiáticos e europeus voltaram a subir.

* As atenções, agora, são para as exportações semanais norte-americanas, que saem às 10h30 (horário de Brasília). Analistas esperam entre 800 mil e 1,7 milhão de toneladas.

* A demanda firme nos EUA, a perspectiva de corte no rendimento e a preocupação com o clima na América do Sul dão sustentação fundamental ao mercado.

PREMIOS

* O prêmio em Paranaguá para novembro ficou em 250 a 300 pontos acima de Chicago. Para fevereiro, o prêmio é de 83 a 128 pontos acima.

CÂMBIO

* O dólar comercial opera em queda desde a abertura dos negócios, renovando mínimas sucessivas a R$ 5,57, com investidores à espera do resultado da eleição presidencial nos Estados Unidos, no qual dá indícios de ser uma vitória apertada seja do presidente Donald Trump ou do candidato democrata, Joe Biden.

* Enquanto a apuração dos votos segue em alguns estados do país, sai hoje a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano).

* Às 9h58 (de Brasília), a moeda norte-americana operava em forte queda de 1,48% no mercado à vista, cotada a R$ 5,5730 para venda, enquanto o contrato para dezembro recuava 1,39%, a R$ 5,5780. Lá fora, o Dollar Index caía 0,82%, aos 92,638 pontos.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia encerraram em alta. Xangai, +1,3%. Tóquio, +1,73%.

* As principais bolsas na Europa operam firmes. Paris, +1,13%; Frankfurt, +1,58%; Londres, +0,61%.

* O petróleo opera com perdas. Dezembro do WTI em NY: US$ 38,97 o barril (-0,45%).

* O Dollar Index registra baixa de 0,86%, a 92,60 pontos.

AGENDA

– Resultado financeiro da Corteva.

– Projeção para a safra mundial de grãos – FAO/AMIS, no início do dia.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 10h30min.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– EUA: A decisão de política monetária de novembro será publicada às 16h pelo Federal Reserve.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (6/11)

– Alemanha:  A produção industrial de setembro será publicada às 4h pelo Ministério de Economia e Tecnologia.

– A FGV divulga às 8h os dados do Indice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) referentes a outubro.

– O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga às 9h os dados sobre o Indice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) referentes a outubro.

– O IBGE divulga às 9h os dados sobre o Indice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) referentes a outubro.

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– EUA: O número de empregos criados ou perdidos pela economia (payroll) e a taxa de desemprego referentes a outubro serão publicados às 10h30 pelo Departamento do Trabalho.

– Dados de exportação, vendas e produção de máquinas agrícolas em outubro – Anfavea, a partir das 10h30min.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

– Levantamento sobre a evoluções do plantio de soja no Brasil – SAFRAS, na parte da tarde.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA