Preços do milho seguem avançando com apreensão com clima

271

    Porto Alegre, 06 de novembro de 2020 – O mercado brasileiro de milho manteve o quadro de preços firmes predominantemente nesta semana, voltando a subir em muitas praças. A oferta segue bem controlada pelos vendedores e a preocupação com o clima para a safra de verão acaba aquecendo mais o mercado, com o cereal avançando. A exceção foi São Paulo que apresentou declínio em alguns casos na semana.

     Segundo o consultor de SAFRAS & Mercado, Paulo Molinari, a tensão persiste com as condições climáticas para a safra de verão, com falta de umidade em importantes regiões. Molinari indica que já há perdas fortes no Rio Grande do Sul e Santa Catarina nas lavouras em fase de pendoamento e isto mantém o mercado sustentado, com vendedores segurando a oferta. Nas demais regiões também há muita atenção com o clima e preços firmes.

     No balanço da semana entre as quintas-feiras (29 de outubro e 05 de novembro), o preço do milho na base de compra no Porto de Santos recuou de R$ 78,50 para R$ 78,00 a saca, muito em função de baixas do dólar.

     Já no mercado disponível ao produtor, o preço do milho em Campinas/CIF recuou na base de venda no comparativo entre a quinta-feira (29 de outubro) e a quinta-feira (05 de novembro) de R$ 85,50 a saca de 60 quilos para R$ 84,00, baixa de 1,7%. Na região Mogiana paulista, o cereal passou de R$ 83,00 para R$ 84,00 a saca no comparativo, elevação de 1,2%.

      Em Cascavel, no Paraná, no comparativo semanal, o preço permaneceu em R$ 80,00 a saca, estável. Em Rondonópolis, Mato Grosso, a cotação avançou de R$ 75,00 a saca para R$ 78,00, aumento de 4%. Já em Erechim, Rio Grande do Sul, houve avanço de R$ 82,00 para R$ 87,00, alta de 6,1%.

      Em Uberlândia, Minas Gerais, as cotações do milho avançaram no mês de R$ 75,00 para R$ 76,00 a saca, subida de 1,3%. Em Rio Verde, Goiás, o mercado passou de R$ 73,00 para R$ 75,00 a saca, alta de 2,7%.

EXPORTAÇÕES

     As exportações de milho não moído, exceto milho doce, do Brasil apresentaram receita de US$ 861,299 milhões em outubro (20 dias úteis), com média diária de US$ 43,065 milhões. A quantidade total de milho exportada pelo país ficou em 5,157 milhões de toneladas, com média de 257,841 mil toneladas. O preço médio por tonelada ficou em US$ 167,00.

     Na comparação com a média diária de outubro de 2019, houve baixa de 4,66% no valor médio diário exportado, queda de 5,83% na quantidade média diária de volume e ganho de 1,25% no preço médio Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 / Grupo CMA