Mercado de trigo segue travado com pontas retraídas no Brasil

256

Porto Alegre, 13 de novembro de 2020 – Enquanto os produtores esperam que os preços do trigo voltem a subir no Brasil, e com a indústria bem abastecida para o curto prazo, os negócios com o grão são travados. A oferta segue crescendo no país.

Paraná

O Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, informou, em seu relatório semanal, que a colheita da safra 2020 de trigo no Paraná atinge 97% da área cultivada de 1,118 milhão de hectares, contra 1,029 milhão de hectares em 2019, alta de 9%. A ceifa está mais rápida em relação ao mesmo período do ano passado, quando atingia 95% da área. Duas semanas atrás, a colheita estava em 90%.

Conforme o Deral, 92% das lavouras de trigo do estado estão em boas condições e 18% em situação média. Duas semanas atrás, 82% das lavouras cultivadas no estado estavam em condições boas de desenvolvimento, 17% em situação média e 1% apresentavam um quadro ruim. No mesmo período em 2019, 86% das lavouras apresentavam boas condições e 14% médias. As lavouras se dividem entre as fases de frutificação (6%) e maturação (94%).

Rio Grande do Sul

A colheita do trigo atinge 95% da área no Rio Grande do Sul. O avanço semanal foi de 17 pontos percentuais. Em igual período do ano passado, os trabalhos chegavam a 81%. A média dos últimos cinco anos é de 82%.

A semana foi caracterizada pelo predomínio de tempo seco no estado. Nas regiões em que houve precipitações, o volume foi muito baixo e não interferiu na colheita do trigo.

Argentina

A colheita de trigo atinge 15,5% da área na Argentina. Segundo boletim semanal da Bolsa de Cereais de Buenos Aires, os trabalhos avançaram 6,7 pontos percentuais na semana e estão 2,1 pontos adiantados em relação ao ano passado. A Bolsa projeta a produção em 16,8 milhões de toneladas. Em números absolutos, foram recolhidas 1,016 milhão de toneladas ao longo de 974,541 mil hectares.

Na última semana, cresceu o percentual de lavouras em déficit hídrico e em más condições. Conforme o documento, 46% das lavouras estão em situação de regular a ruim. Na semana passada, eram 42%. Em igual período do ano passado, 22% da área estava nessa situação. As lavouras com condição de excelente a boa passaram de 14% a 15%.

Nesta semana, 42% das lavouras estão em situação de déficit hídrico. Na semana passada, eram 38% e, no ano passado, 3%. A área fica em 6,5 milhões de hectares.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA