Mercado doméstico de algodão segue balizado pela paridade de exportação e perde força

367

     Porto Alegre, 13 de novembro de 2020 – Com a demanda interna menos ativa e sentindo os efeitos da retração de Nova York, os preços do algodão seguem perdendo força no mercado doméstico. “Depois de atingir o recorde de R$ 4,04 por libra-peso no final de outubro, as indústrias pisaram no freio e vêm adquirindo apenas para atender necessidades imediatas”, explica o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento.

     Conforme o analista, apesar do descompasso no abastecimento gerado pelas paralisações das fábricas durante as medidas de isolamento social, os compradores estão céticos quanto ao retorno da demanda no varejo num ano de recessão econômica e preferem não alongar os estoques a preços elevados. “Com isso, e contando com um grande excedente de produção em relação ao consumo, os preços no mercado brasileiro seguem sendo balizados pela paridade de exportação”, pondera.

      Na média do CIF de São Paulo, a pluma fechou a quinta-feira a R$ 3,82 libra-peso, com queda de 0,8% em relação ao dia anterior e no menor patamar desde 21 de outubro/2020.  Comparado ao mesmo momento do mês e do ano passado, ainda acumulava ganhos de 13,4% e de 49,8%, respectivamente.

     No FOB exportação do porto de Santos/SP, a fibra brasileira fechou a 69,27 centavos de dólar por libra-peso (c/lb. Em relação ao contrato de maior liquidez na Ice Futures, a pluma brasileira era cotada por um valor 1,2% superior. Há uma semana, era 2,2% superior e, há um mês, 12,2% inferior.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA