Preços do boi gordo caem com pressão de frigoríficos

328

     Porto Alegre, 20 de novembro de 2020 – Os preços do boi gordo interromperam a forte escalada deste ano nesta semana, caindo em todas as regiões de produção e comercialização do país. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, a alegação que iniciou esse movimento foi do estreitamento da margem operacional no último trimestre, consequência do encarecimento da matéria-prima neste período. Os frigoríficos de maior porte começaram a sair do mercado na semana passada e retomaram as negociações a preços mais baixos. Percebe-se que no patamar mais baixo foi evidenciada aderência por parte do pecuarista.

    “Um ponto que precisa ser ressaltado é a dificuldade em reter a oferta de confinados, avaliando os custos de nutrição somado a condições climáticas adversas. A incidência de chuvas no Centro-Sul dificulta a retenção dos animais de confinamento. O contraponto é que a oferta de animais terminados segue restrita em grande parte do país; portanto fator limitador para quedas mais acentuadas dos preços”, disse Iglesias.

    Já no atacado, os preços da carne bovina subiram. A expectativa é de continuidade deste movimento no curto prazo, em linha com o ápice do consumo no decorrer do último bimestre. Por sua vez, as exportações permanecem em ótimo nível, com a China ainda absorvendo volumes expressivos de proteína animal brasileira, consequência da lacuna de oferta formada pela Peste Suína Africana.

  “Porém, a continuidade deste movimento de maneira ainda mais enfática tende a ser limitada dificuldade do consumidor médio em absorver novos reajustes de um determinado produto, simplesmente migrando para outros mais acessíveis. No caso do setor carnes, a escolha prioritária é a carne de frango”, disse Iglesias.

     Com isso, os preços a arroba do boi gordo na modalidade à prazo nas principais praças de comercialização do País estavam assim no dia 19 novembro:

* São Paulo (Capital) – R$ 280,00 a arroba, contra R$ 295,00 a arroba em 12 de novembro (-5%).

* Goiás (Goiânia) – R$ 272,00 a arroba, contra R$ 280,00 a arroba (-2,86%).

* Minas Gerais (Uberaba) – R$ 275,00 a arroba, ante R$ 286,00 a arroba, caindo 3,85%.

* Mato Grosso do Sul (Dourados) – R$ 270,00 a arroba, ante R$ 285,00 a arroba (-5,3%).

* Mato Grosso (Cuiabá) – R$ 270,00 a arroba, contra R$ 280,00 a arroba (-3,6%).

Exportação

     As exportações de carne bovina fresca, refrigerada ou congelada do Brasil renderam US$ 382,008 milhões em novembro (9 dias úteis), com média diária de US$ 42,445 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 86,984 mil toneladas, com média diária de 9,964 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 4.391,70.

    Na comparação com novembro de 2019, houve alta de 12,8% no valor médio diário, ganho de 24,28% na quantidade média diária e queda de 9,24% no preço médio. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA