fbpx
Mercado Notícias Algodão

Algodão registra preços fracos no Brasil com perdas externas

 

Porto Alegre, 6 de dezembro de 2018 – O tombo das cotações do algodão na Bolsa de Nova York interrompeu a recuperação que se verificava no mercado doméstico. No CIF de São Paulo a indicação ficou em 2,96/libra-peso, o que corresponde a uma queda de 0,7% em relação véspera. Comparado ao mês e ao ano anterior a pluma acumula alta de 1,7% e de 20,3%, respectivamente.

 

Os agentes acompanharam de perto a notícia da prisão da executiva e filha do fundador da Huawei (empresa chinesa de telecomunicações) no Canadá, a pedido do governo norte-americano. Essa medida pode pôr fim à trégua na guerra comercial entre os Estados Unidos e a China. Os reflexos foram sentidos em todas as commodities, inclusive no petróleo, cujo derivados podem substituir a fibra de algodão. Interessante destacar que essas mesmas incertezas contribuíram para que a moeda norte-americana valorizasse em relação ao real, o que reduziu os efeitos da queda externa sobre a competitividade brasileira.

 

 

Nova York

 

A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) para o algodão fechou com preços acentuadamente mais baixos nesta quinta-feira.

 

A alta do dólar contra outras moedas e perdas do petróleo e outras commodities levou também o algodão ao terreno negativo. O mercado foi contaminado pela derrocada nos mercados de commodities e de ações em geral, após o aumento na preocupação de que a guerra entre os Estados Unidos e a China possa não ter fim.

 

Após a prisão da executiva e filha do fundador da Huawei (empresa chinesa de telecomunicações) no Canadá, a pedido do governo norte-americano, o cenário de incertezas aumentou. Tal medida contamina todos os mercados de ações pelo mundo.

 

As autoridades do Canadá prenderam a executiva-chefe de finanças da Huawei, Meng Wanzhou, a pedido dos Estados Unidos, que a acusam de violar sanções impostas ao Irã.

 

Março encerrou o dia a 79,08 centavos de dólar por libra-peso, com queda de 2,07 centavos, ou de 2,5%.

 

Câmbio

 

O dólar comercial fechou a negociação em alta de 0,12%, cotado a R$ 3,8730 para a compra e a R$ 3,8750 para a venda. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 3,8750 e a máxima de R$ 3,9440.

 

Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

 

Copyright 2018 – Grupo CMA

 

Sobre o autor

Lessandro Rocha Carvalho

Deixe um Comentário