fbpx
Monitor

Dólar e NY em alta devem movimentar mercado interno de café

Porto Alegre, 14 de março de 2019 – O mercado brasileiro de café deve
ter um dia mais movimentado nesta quinta e com preços firmes, acompanhando a
alta de Nova York e a valorização do dólar frente ao real. Mesmo assim, a
comercialização deve seguir limitada, já que os patamares de preço pouco
animam os produtores.

NOVA YORK

* Os contratos com entrega em maio/2019 operam a 97,85 centavos de dólar por
libra-peso, com alta de 0,20 centavo, ou de 0,2%.

CÂMBIO

* O dólar opera em alta ante o real nesta manhã acompanhando a valorização
da moeda norte-americana vista no exterior com maior cautela após dados mais
fracos da economia chinesa e ainda com a questão da saída do Reino Unido da
União Europeia (Brexit) no radar.

* Investidores também acompanham indicadores norte-americanos que têm vindo
mais fortes, enquanto no Brasil se mantém o otimismo em torno da reforma da
Previdência com a instalação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

* Às 9h55 (horário de Brasília), o dólar comercial subia 0,36%, a R$ 3,8280
na venda, enquanto o dólar futuro, com vencimento em abril, subia 0,32%, a R$
3,8310.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam em baixa. Xangai, -1,2% e Tóquio,
-0,02%.

* As principais bolsas na Europa operam firmes. Paris, +0,65%; Frankfurt,
+0,40%; Londres, +0,52%.

* O petróleo opera em alta. Abril do WTI em NY: US$ 58,43 o barril (+0,29%).

* O Dollar Index registra valorização de 0,3%, a 96,76 pontos

MERCADO INTERNO

* O mercado físico de café teve uma movimentação mais intensa nesta
quarta-feira, com a valorização dos contratos futuros em Nova York levando
alguns produtores aos negócios.

* No entanto, os preços seguem abaixo do pretendido pelos cafeicultores, o que
novamente limitou os volumes efetivamente negociados, ao mesmo tempo em que o
dólar novamente em baixa frente ao real amenizou a pressão de alta sobre os
preços.

* Assim, no sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa com 15% de
catação ficou em R$ 390,00/395,00 saca, contra R$ 385,00/395,00 saca na
terça-feira.

* No cerrado mineiro, o preço da bebida boa com 15% de catação esteve em R$
390,00/400,00 a saca, ante R$ 395,00/400,00 a saca.

* O café arábica “rio” tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais (20% de
catação) teve preço de R$ 340,00 – R$ 345,00 a saca, estável.

* Já o conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, teve preço de R$
300,00/305,00 a saca, novamente nominal e inalterado.

AGENDA

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos
Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (15/03)

– Japão: A decisão de política monetária será publicada pelo Banco do
Japão.

– Eurozona: A leitura final do índice de preços ao consumidor de fevereiro
será publicada às 7h pela Eurostat.

– A FGV divulga às 8h os dados do Indice Geral de Preços – 10 (IGP-10)
referentes a março.

– EUA: os dados sobre a produção industrial em fevereiro serão publicados às
10h15 pelo Federal Reserve.

– Esmagamento de soja nos EUA em fevereiro – NOPA, 12hs.

– Dados sobre a evolução das lavouras do Mato Grosso – Imea, na parte da
tarde.

– Avanço da colheita de soja no Brasil – SAFRAS, na parte da tarde.

– Estoques de café dos EUA – GCA, 16hs.

Dylan Della Pasqua ([email protected]) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA

Sobre o autor

Arno Baasch

Deixe um Comentário