fbpx
Notícias Bioenergia

ETANOL: EPA reafirma compromisso por E15 no verão dos Estados Unidos

Porto Alegre, 09 de janeiro de 2019 – A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA, na sigla em inglês) informou que vai completar uma regra para aumentar as vendas de misturas de etanol com gasolina na temporada de verão, apesar de uma paralisação parcial do governo.

 

A declaração do regulador ambiental veio depois que a agência alertou pelo menos dois legisladores de que a paralisação havia atrasado seu cronograma para o lançamento inicial da regra, de acordo com duas fontes informadas sobre o assunto.

 

O presidente Donald Trump prometeu, no período que antecedeu as eleições parlamentares de novembro, suspender o embargo do verão às vendas da chamada gasolina E15, em um impulso a uma indústria de etanol que sofre com as guerras comerciais e o fraco crescimento da demanda doméstica.

 

A administração Trump esperava que a regra fosse publicada até fevereiro e aprovada até junho, mas a EPA recentemente disse aos legisladores que o cronograma seria adiado por causa da paralisação parcial do governo, disseram as duas fontes, que conversaram com a Reuters sob condição de anonimato.

 

Um porta-voz da EPA disse que a agência ainda completaria a regra antes da temporada de verão. “Esta é uma prioridade tanto para o presidente Trump quanto para o administrador em exercício, Andrew Wheeler. A paralisação parcial em andamento não impedirá a capacidade da EPA de cumprir o prazo”, disse Michael Abboud em comunicado por e-mail.

 

A EPA atualmente proíbe a maior mistura de etanol, chamada E15, durante o verão por causa das preocupações que contribui para a poluição nos dias quentes – uma preocupação que os defensores dos biocombustíveis dizem ser infundada. A gasolina E15 contém 15 por cento de etanol, contra os 10 por cento encontrados na maior parte da gasolina dos EUA.

 

A decisão de Trump de suspender a proibição das vendas de verão da E15 foi aplaudida pelos produtores de cinturão de milho e legisladores e criticada pelo lobby do petróleo como um exagero ilegal pela EPA e seu administrador em exercício.

 

Espera-se que a proposta seja acompanhada de uma série de reformas no mercado de crédito que sustenta a política de combustível renovável do país.

 

Brooke Coleman, diretora executiva do Conselho Empresarial de Biocombustíveis Avançados, disse que a EPA estava elaborando a proposta E15 há muito tempo e não deveria ter problemas para cumprir sua meta de 1º de junho. Ele disse que a EPA deve atrasar as reformas comerciais se eles estão retardando o processo. “Isso manteria a promessa do presidente às comunidades rurais, ao mesmo tempo em que tiraria alguma pressão dos reguladores”, disse Coleman.

 

As informações partem da Reuters.

 

Fábio Rübenich ([email protected]) / Agência SAFRAS

 

Copyright 2019 – Grupo CMA

Sobre o autor

Fabio Rubenich

Deixe um Comentário