fbpx
Monitor

Mercado brasileiro de soja deve ter mais um dia de poucos negócios

Porto Alegre, 5 de fevereiro de 2019 – O mercado brasileiro de soja deve ter mais um dia de poucos negócios. Os dois principais formadores de preços, dólar e Bolsa de Mercadorias de Chicago, operam bastante voláteis e próximos à estabilidade. Neste contexto, o interesse em negociar deve ser reduzido.

CHICAGO

* Os contratos com vencimento em março recuam 0,05% a US$ 9,19 por bushel.

* O mercado sobe pelo terceiro dia seguido, sustentado por compras de soja dos Estados Unidos por parte da China. De qualquer forma, a ampla oferta limita os ganhos. As informações partem da Agência Reuters.

PREMIOS

* Os prêmios de exportação para fevereiro em Paranaguá avançaram, ficando 25 a 45 pontos acima de Chicago. Para março, o prêmio também subiu, atingindo 40 a 50 pontos acima.

CÂMBIO

* O dólar comercial opera estável frente ao real, cotado a R$ 3,6730, com o mercado otimista com as últimas notícias sobre a reforma da Previdência, o qual a proposta da equipe econômica do presidente Jair Bolsonaro poderá levar à Câmara dos Deputados a tão “sonhada” proposta robusta que o mercado
deseja.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam mistas. Xangai não operou. Tóquio, -0,19%

* As bolsas na Europa operam em alta. Paris, +0,96%; Frankfurt, +1,43%; Londres, +1,15%.

* O petróleo opera em baixa. Março do WTI em NY: US$ 54,41 barril (-0,29%).

* O Dollar Index registra valorização de 0,11% a 95,670 pontos.

MERCADO INTERNO

* O mercado brasileiro de soja teve uma segunda-feira de preços de estáveis a mais altos. A elevação da oleaginosa na Bolsa de Chicago e o dólar firme no fechamento garantiram a sustentação das cotações. A exceção foi o interior do Rio Grande do Sul, por questões e oferta e demanda regional, que teve perdas. O dia foi lento na comercialização de modo geral.

* Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos caiu de R$ 76,00 para R$ 73,00. Na região das Missões, a cotação recuou de R$ 75,00 para R$ 73,00 a saca. No porto de Rio Grande, os preços subiram de R$ 76,50 para R$ 77,00.

* Em Cascavel, no Paraná, o preço avançou de R$ 71,50 para R$ 72,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca passou de R$ 76,50 para R$ 77,00.

* Em Rondonópolis (MT), a saca seguiu em R$ 65,50. Em Dourados (MS), a cotação avançou de R$ 67,00 para R$ 67,50. Em Rio Verde (GO), a saca passou de R$ 68,00 para 68,50.

AGENDA

—–Quarta-feira (6/02)

– Dados de produção, vendas e exportação de veículos e máquinas agrícolas
em dezembro e 2018 – Anfavea, a partir das 11hs.

– EUA: a posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana passada
será publicada às 13h30hs pelo Departamento de Energia (DoE).

– Decisão sobre a taxa Selic, juro básico da economia brasileira, Copom/BC, a
partir das 18hs.

—–Quinta-feira (7/02)

– Produção mundial de grãos – AMIS/FAO, no início do dia.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 11h30min.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos
Aires, 16hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (8/02)

– Relatório de oferta e demanda mundial e dos EUA de grãos de fevereiro –
USDA, 15hs.

– Dados sobre a evolução das lavouras do Mato Grosso – Imea, na parte da
tarde.

– Evolução da colheita de soja no Brasil – SAFRAS & Mercado, na parte da
tarde.

Revisão: Rodrigo Ramos ([email protected]) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA

Sobre o autor

Arno Baasch

Deixe um Comentário