fbpx
Mercado

MERCADO: Dólar volta a sustentar cotações da soja no Brasil, em dia de USDA

 

Porto Alegre, 8 de fevereiro de 2019 – O mercado brasileiro de soja teve uma sexta-feira de preços firmes, de estáveis a mais altos. A alta do dólar deu sustentação ao mercado nacional, especialmente. As atenções estiveram voltadas para o relatório de oferta e demanda de fevereiro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), com compradores e vendedores não querendo fixar grandes volumes diante disto, o que levou a um dia de poucos negócios.

 

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 74,00 para R$ 74,50. Na região das Missões, a cotação permaneceu em R$ 74,00 a saca. No porto de Rio Grande, os preços seguiram em R$ 77,50.

 

Em Cascavel, no Paraná, o preço subiu de R$ 71,50 a saca para R$ 72,00. No porto de Paranaguá (PR), a saca passou de R$ 77,00 para R$ 78,00.

 

Em Rondonópolis (MT), a saca permaneceu em R$ 66,50. Em Dourados (MS), a cotação avançou de R$ 68,00 para R$ 68,50. Em Rio Verde (GO), a saca permaneceu em R$ 68,00.

 

Chicago

 

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a sexta-feira com preços em leve alta. Apesar do relatório de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) ter reduzido as estimativas para as safras e estoques globais e dos Estados Unidos, bem como para a produção no Brasil e na Argentina, os estoques trimestrais do país, em 1o de dezembro, foram estimados em volume recorde, em meio à guerra comercial entre EUA e China. Notícias recentes indicam que a tensão entre os dois países deva se prolongar além do esperado. A posição março acumulou queda semanal – a segunda consecutiva – de 0,35%.

 

Os estoques trimestrais de soja dos Estados Unidos, na posição 1o de dezembro de 2018, totalizaram 3,736 bilhões de bushels. O volume estocado ficou acima frente a igual período de 2017, que indicava estoques de 3,160 bilhões de bushels. O volume indicado pelo Departamento ficou acima do esperado pelo mercado, de 3,687 bilhões de bushels.

 

     A produção dos Estados Unidos em 2018/19 foi cortada de 4,6 para 4,544 bilhões. Os estoques finais em 2018/19 estão projetados em 910 milhões de bushels, contra 955 milhões de bushels estimados em dezembro. O mercado trabalhava com um número de 920 milhões de bushels. O USDA indica estimativa de exportação para 2017/18 de 1,875 bilhão de bushels, abaixo dos 1,9 bilhão de bushels estimados em dezembro.

 

A safra global em 2018/19 foi estimada em 360,99 milhões de toneladas. No relatório anterior, o número era de 369,2 milhões. Os estoques finais foram cortados de 115,33 milhões de toneladas para 106,72 milhões. O mercado esperava por estoques finais de 113,9 milhões de toneladas.

 

Para o Brasil, a previsão é de uma produção de 117 milhões de toneladas, abaixo das 122 milhões de toneladas previstas em dezembro, porém superando a previsão do mercado, de 116,3 milhões. A previsão para a Argentina foi reduzida de 55,5 para 55 milhões de toneladas.  Pelo lado da demanda, o USDA reduziu a previsão de importações chinesas de 90 para 88 milhões de toneladas.

 

Os contratos da soja em grão com entrega em março fecharam com alta de 1,25 centavo de dólar ou 0,13%, a US$ 9,14 1/2 por bushel. A posição maio teve cotação de US$ 9,28 3/4 por bushel, ganho de 1,50 centavo de dólar em relação ao fechamento anterior ou 0,16%.

 

Nos subprodutos, a posição março do farelo fechou com alta de US$ 0,60 ou 0,19%, sendo negociada a US$ 306,10 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em março fecharam a 30,87 centavos de dólar, com recuo de 0,06 centavo ou 0,19%.

 

Câmbio

 

O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com alta de 0,56%, sendo negociado a R$ 3,7330 para venda e a R$ 3,7310 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 3,7040 e a máxima de R$ 3,7490. Na semana, o dólar registrou avanço de 1,91%.

 

AGENDA

 

—–Segunda-feira (11/02)

 

– Japão: O mercado de ações do país permanece fechado em razão de um

Feriado;

 

– Reino Unido:  A balança comercial de dezembro será publicada às 7h30

pelo departamento de estatísticas;

 

– Reino Unido:  A produção industrial de dezembro será publicada às

7h30 pelo departamento de estatísticas;

 

– Boletim Focus, com projeções do mercado financeiro para a economia brasileira – Banco Central (BC), a partir das 8hs.

 

– Inspeções de exportação semanal dos EUA – USDA, 14hs.

 

– O governo divulga às 15h os dados da balança comercial até a última

Semana;

 

– O Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé) divulga, às 16hs, os dados das exportações de café referentes ao mês de janeiro de 2019;

 

Lessandro Carvalho ([email protected]) / Agência SAFRAS

 

Copyright 2019 – Grupo CMA

 

 

Sobre o autor

Lessandro Rocha Carvalho

Deixe um Comentário