fbpx
Sem categoria

Nova York fecha em baixa com petróleo e câmbio

Porto Alegre, 06 de dezembro de 2018 – A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto encerrou o pregão eletrônico desta quinta-feira com cotações mais baixas.

 

Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Maurício Muruci, as cotações caíram influenciadas por dois fatores. Primeiramente, pela queda no mercado internacional do petróleo, com o barril do tipo Brent em Londres voltando a ficar abaixo de US$ 60,00, e pela valorização do dólar frente ao real.

 

“No entanto, o suporte dos contratos com entrega em março, situado em 12,50 centavos de dólar por libra-peso, se manteve firme apesar de intenso bombardeio de fatores negativos. Alem do petróleo, tivemos o dólar em relação ao real, voltando a superar a marca de R$ 3,90”, salientou

 

A influência da queda da cotação do barril de petróleo em Londres se torna negativa diante da pressão de baixa que assume sobre os preços da gasolina importada no mercado interno brasileiro, disse o analista da SAFRAS & Mercado. A gasolina mais barata acaba “captando” mercado do etanol hidratado que, além de reduzir a sua demanda, também resulta em queda nos seus preços de negociação nas usinas. Estas, com menor rentabilidade no biocombustível acabam se voltado mais ao açúcar e, com isto, elevando a oferta da commodity.

 

Na outra ponta, o câmbio desvalorizado no Brasil acaba elevando a competitividade cambial do açúcar brasileira nas exportações, incentivando tanto os embarques quanto as fixações de vendas para a próxima temporada. Tanto pelas vendas imediatas quanto por formação de hedge com entregas futuras, existe um claro aumento na disponibilidade de oferta no curto prazo junto a uma neutralização da demanda futura, tudo pela via cambial, o que também resulta em uma pressão de baixa sobre os preços externos. “É fato também que o real desvalorizado frente ao dólar também provoca o “encarecimento” das importações de gasolina, ajudando a neutralizar parte do movimento de baixa pela via dos biocombustíveis. Porém, essa compensação não chega a ultrapassar a 15% nos preços finais do movimento”, finalizou.

 

Os contratos com entrega em março/2019 encerraram o dia a 12,64 centavos de dólar por libra-peso, baixa de 0,08 centavo (-0,62%) em relação ao fechamento anterior. A mínima do dia foi 12,49 cents/lb, e a máxima 12,80 centavos.

 

Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

 

Copyright 2018 – Grupo CMA

Sobre o autor

Fabio Rubenich

Deixe um Comentário