fbpx
Monitor

Produtor de soja foca no início da colheita e mercado segue lento

Porto Alegre, 10 de janeiro de 2019 – O início da colheita em alguns estados segue no centro das atenções dos produtores brasileiros de soja. Com isso, e com as oscilações de Chicago e do dólar, o mercado segue arrastado. No momento, os contratos futuros realizam lucros e o dólar tem ganho moderado, cenário que não deverá alterar o comportamento lento e de preços mistos no
mercado interno.

CHICAGO

* Os contratos com vencimento em março operam com baixa de 0,13%, cotados a US$
9,22 3/4.

* O mercado é pressionado por um movimento de realização de lucros frente aos recentes ganhos, que foram motivados pelo otimismo quanto a um acordo comercial entre China e Estados Unidos, após três dias de negociações.

* O escritório do Representante de Comércio dos Estados Unidos disse na quarta-feira que a China prometeu comprar “uma quantidade substancial” de produtos e serviços agrícolas, energéticos e manufaturados dos Estados Unidos.

PREMIOS

* Os prêmios de exportação para fevereiro em Paranaguá seguiram em 38 a 48 pontos acima de Chicago. Para março, o prêmio ficou em 36 a 44 pontos acima.

* O mercado segue calmo e sem liquidez, acompanhando o resultado das negociações entre Estados Unidos e China.

CÂMBIO

* O dólar comercial opera a US$ 3,691, com alta de 0,05%.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam em baixa. Xangai, -0,26%. Tóquio, -1,29%.

* As bolsas na Europa operam em baixa. Paris, -0,78%; Frankfurt, -0,37%; Londres, -0,18%.

* O petróleo opera em baixa. Fevereiro do WTI em NY: US$ 51,92 barril (-0,84%).

* O Dollar Index registra valorização de 0,19% a 95,32 pontos.

MERCADO INTERNO

* O mercado brasileiro de soja teve uma quarta-feira de oscilações mistas nos preços. Com a Bolsa de Chicago tendo avanços e com o dólar caindo, o mercado não teve um comportamento homogêneo. Os agentes estão focando no começo da colheita da soja e os negócios tiveram volumes pouco relevantes.

* Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos recuou de R$ 76,00 para R$ 75,00. Na região das Missões, a cotação caiu de R$ 75,50 para R$ 74,50 a saca. No porto de Rio Grande, os preços permaneceram em R$ 79,00.

* Em Cascavel, no Paraná, o preço passou de R$ 71,50 para R$ 71,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca baixou de R$ 77,00 para R$ 76,50.

* Em Rondonópolis (MT), a saca seguiu em R$ 68,00. Em Dourados (MS), a cotação subiu de R$ 72,00 para R$ 72,50. Em Rio Verde (GO), a saca avançou de R$ 68,00 para R$ 68,50.

AGENDA

– Eurozona: a ata da última decisão de política monetária será publicada às 10h30 pelo Banco Central Europeu (BCE).

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 11h30min. (Dependendo de uma definição sobre a paralisação parcial do governo americano)

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 16hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (11/01)

– Japão: o saldo comercial de novembro será publicado durante a noite pelo Ministério de Finanças.

– Reino Unido: a produção industrial referente a novembro será publicada às 7h30 pelo departamento de estatísticas.

– Reino Unido: A balança comercial de novembro será publicada às 7h30 pelo departamento de estatísticas.

– IPCA e INPC de dezembro – IBGE, 9hs.

– EUA: o índice de preços ao consumidor de dezembro será publicado às 11h30 pelo Departamento do Trabalho.

– Estimativas para as safras de milho e soja do Brasil em 2018/19 – SAFRAS & Mercado, 12hs.

– USDA não deverá divulgar o relatório de Oferta e Demanda de janeiro, inicialmente marcado para hoje, devido à paralisação parcial do governo americano.

– Dados sobre a evolução das lavouras do Mato Grosso – Imea, na parte da tarde.

Dylan Della Pasqua ([email protected]) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA

Sobre o autor

Arno Baasch

Deixe um Comentário