Milho despenca na CBOT com números baixistas do USDA

141

     Porto Alegre, 10 de outubro de 2019 – A quinta-feira foi de lentidão no mercado brasileiro de milho. As atenções estiveram voltadas para o relatório de Oferta e Demanda divulgado pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). No geral, a decisão de venda do produtor permanece preponderante, avaliando o regime de chuvas irregulares em grande parte do Centro-Sul, aumentando as preocupações em torno do primeiro quadrimestre. A postura defensiva e de retenção do produtor mantém suporte às cotações.

     No Porto de Paranaguá, o preço ficou em R$ 39,00/41,00 a saca. Em Santos, o preço girou em torno de R$ 40,50/42,50 a saca.

     No Paraná, a cotação ficou em R$ 36,00/37,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 38,50/40,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 41,50/42,50 a saca.

     No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 41,00/42,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 38,00/40,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 32,00/33,00 a saca em Rio Verde, no disponível. Em Mato Grosso, preço ficou a R$ 29,50/30,50 a saca em Rondonópolis, para o disponível.

     Chicago

     A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou com preços acentuadamente mais baixos. O mercado refletiu os números acima do esperado no relatório de oferta e demanda de outubro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, divulgado há pouco.
 
     Os Estados Unidos deverão colher 13,779 bilhões de bushels do cereal na temporada 2019/20, ante os 13,799 bilhões indicados em setembro, enquanto o mercado apostava em um número de 13,611 bilhões de bushels. O USDA prevê que os estoques finais da safra 2019/20 ficarão em 1,929 bilhão de bushels, ante os 2,190 bilhões de bushels apontados em setembro, enquanto o mercado esperava um número de 1,684 bilhão de bushels. 
 
     A safra global 2019/20 foi estimada em 1.104,01 milhão de toneladas, contra 1.104,88 milhão de toneladas em setembro. Os estoques finais da safra mundial 2019/20 foram projetados em 302,55 milhões de toneladas, contra as 306,27 milhões de toneladas apontadas em setembro, enquanto mercado apostava em um número de 296,1 milhões de toneladas. Para a temporada 2018/19, os estoques finais de passagem foram indicados em 324,03 milhões de toneladas, contra uma expectativa do mercado de 323,8 milhões de toneladas.
 
     Os contratos de milho com entrega em dezembro de 2019 fecharam a US$ 3,80 1/4, baixa de 14,00 centavos de dólar, ou 3,55%, em relação ao fechamento anterior. A posição março/20 de 2019 fechou a US$ 3,91 1/2 por bushel, recuo de 14,00 centavos de dólar, ou 3,45%, em relação ao fechamento anterior.

     Câmbio

     O dólar comercial encerrou a sessão de hoje com alta de 0,51%, sendo negociado a R$ 4,1250 para venda e a R$ 4,1230 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 4,0910 e a máxima de R$ 4,1370.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA