Preços da soja devem subir no Brasil, acompanhando Chicago

133

    Porto Alegre, 11 de outubro de 2019 – Os preços da soja tendem a subir no mercado interno nesta sexta-feira, acompanhando os contratos futuros em Chicago. O dólar recua, assim como os prêmios de exportação, combinação que segura a comercialização. A semana foi de negócios moderados, localizados e com preferência para a safra nova.

CHICAGO

* Os contratos com vencimento em novembro apresentam alta de 0,73%, a US$ 9,30 1/2 por bushel.

* O mercado está mais otimista de que possa ser fechado um acordo entre os Estados Unidos e a China, após a retomada nas negociações entre os dois países.

* O relatório altista do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) também segue como fator de suporte.

USDA

* O relatório de outubro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) indicou safra americana de soja e estoques de passagem abaixo do esperado. Os números também foram cortados na comparação com o levantamento divulgado em setembro.

* A produção 2019/20 está estimada em 3,550 bilhões de bushels, ou 96,62 milhões de toneladas. O mercado esperava uma safra de 3,571 bilhões ou 97,19 milhões de toneladas. No relatório de setembro, a previsão era de 3,633 bilhões de bushels ou 98,87 milhões de toneladas. Para 2018/19, a previsão foi mantida em 4,544 bilhões ou 123,6 milhões de toneladas.

* Os estoques finais em 2019/20 estão projetados em 460 milhões de bushels, o equivalente a 12,52 milhões de toneladas, enquanto o mercado apostava em número em torno de 13,88 milhões. No relatório anterior, a previsão era de 640 milhões de bushels ou 17,42 milhões de toneladas.

* A previsão para as exportações americanas seguiu em 1,775 bilhão de bushels. O esmagamento está projetado em 2,12 bilhões de bushels, contra 2,115 bilhões do relatório anterior.

* O relatório projetou safra mundial de soja em 2019/20 de 338,97 milhões de toneladas. No relatório anterior, a previsão era de 341,39 milhões.

* Os estoques finais estão estimados em 95,2 milhões de toneladas. O mercado esperava por estoques finais de 96,9 milhões de toneladas. Em setembro, a previsão era de 99,2 milhões.

* A projeção do USDA aposta em safra americana de 96,2 milhões de toneladas, contra 98,87 milhões previstos em setembro. Para o Brasil, a previsão é de uma produção de 123 milhões de toneladas. A Argentina deverá produzir 53 milhões de toneladas.

* A produção em 2018/19 teve sua projeção indicada em 358,77 milhões de toneladas. Os estoques finais foram reduzidos de 112,4 milhões para 109,9 milhões de toneladas. O mercado apostava em número de 110,7 milhões de toneladas.

* A safra brasileira foi mantida em 117 milhões de toneladas, enquanto a produção argentina teve estimativa de 55,3 milhões de toneladas.

* A estimativa para as importações chinesas em 2019/20 foi mantida em 85 milhões de toneladas. No ano anterior, o número foi de 83 milhões de toneladas.

PREMIOS

* O prêmio em Paranaguá para outubro ficou em 71 a 85 pontos acima de Chicago. Para fevereiro, o valor é de 33 a 40 pontos acima.

CÂMBIO

* O dólar comercial opera com queda de 0,48% neste momento, a R$ 4,106.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam em alta. Xangai, +0,88%; e Tóquio, +1,15%.

* As principais bolsas na Europa operam em alta. Paris, +1,19%; Frankfurt, +2,08% e Londres, +0,57%.

* O petróleo opera em alta. Novembro do WTI em NY: US$ 54,22 o barril (+1,23%).

* O Dollar Index registra baixa de 0,3%, a 98,41 pontos.

MERCADO INTERNO

* Os preços da soja oscilaram entre estáveis e mais altos nesta quinta-feira nas principais praças do país. Mesmo com a melhora nos referenciais, a movimentação seguiu limitada. Chicago teve um dia volátil, avaliando os números do USDA. O dólar subiu.

* Destaque para a movimentação na Bahia nesta semana, envolvendo cerca de 120 mil toneladas para a safra nova. No Porto de Rio Grande, a saca bateu em R$ 90,00 para embarque imediato e pagamento em novembro. “Em geral, a distância entre vendedor e comprador gira em R$ 1,00 e R# 1,50 por saca”, indica o analista de SAFRAS & Mercado, Evandro Oliveira, justificando o ritmo moderado nos negócios.

* Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos seguiu em R$ 84,50 a saca. Na região das Missões, a cotação ficou em R$ 84,00. No porto de Rio Grande, o preço passou de R$ 89,00 para R$ 89,50.

* Em Cascavel, no Paraná, o preço aumentou de R$ 82,50 para R$ 84,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca avançou de R$ 88,50 para R$ 89,50.

* Em Rondonópolis (MT), a saca subiu de R$ 80,00 para R$ 80,50. Em Dourados (MS), a cotação ficou em R$ 80,50. Em Rio Verde (GO), a saca permaneceu em R$ 79,00.

AGENDA

– Quadro de oferta e demanda de soja no Brasil – SAFRAS, 12hs.

– Evolução do plantio de soja no Brasil -SAFRAS & Mercado, na parte da tarde.

– Evolução das lavouras no Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2019 – Grupo CMA