Chicago despenca mais de 3% pressionada por competição no mercado exportador de trigo

256

Porto Alegre 30 de novembro de 2020 – A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o trigo encerrou com preços acentuadamente mais baixos. O mercado foi pressionado pelo aumento da competição no mercado exportador.

Em novembro, a posição março/21 acumulou queda de 2,5% – a desvalorização de hoje é a responsável pelo sinal negativo na variação mensal.

O ministério da agricultura da Rússia disse que pode aumentar a cota de exportação de trigo livre de tarifa de 15 par 17,5 milhões de toneladas entre janeiro e junho de 2021. Assim, o país pode exportar mais de 40 milhões de toneladas nesta temporada. A Austrália, outro importante exportador, teve sua projeção de safra reajustada positivamente em mais de 10%, graças ao clima favorável.

Sanções anunciadas hoje pelos Estados Unidos contra empresas chinesas também pesaram negativamente. Elas podem dificultar a futura relação da gestão de Joe Biden junto aos asiáticos. As punições adotadas pelos EUA, autorizadas por Donald Trump, visam empresas chinesas que supostamente teriam apoiado o governo do presidente venezuelano, Nicolás Maduro.

No fechamento de hoje, os contratos com entrega em março de 2021 eram cotados a US$ 5,85 por bushel, recuo de 21,00 centavos de dólar, ou 3,46%, em relação ao fechamento anterior. Os contratos com entrega em maio de 2021 eram negociados a US$ 5,88 3/4, baixa de 20,50 centavos de dólar, ou 3,36%, em relação ao fechamento anterior.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA