Comercialização da soja perde ritmo no Brasil, mas segue acima da média

748


     Porto Alegre, 4 de dezembro de 2020 As vendas antecipadas de soja no mercado brasileiro pouco avançaram em novembro, mas seguem bem acima da média. O levantamento de SAFRAS & Mercado indicam ainda que as negociações no disponível também evoluíram de forma lenta no período, mas se encaminham para o final. Os números de SAFRAS apontam que pouco mais de 1,4 milhão de toneladas ainda não foi comercializado.

     A comercialização da safra 2020/21 de soja do Brasil envolve 56,5% da produção projetada, conforme relatório de SAFRAS & Mercado, com dados recolhidos até 4 de dezembro. No relatório anterior, com dados de 6 de novembro, o número era de 55,1%.

     Em igual período do ano passado, a negociação envolvia 37,8% e a média para o período é de 34,5%. Levando-se em conta uma safra estimada em 133,517 milhões de toneladas, o total de soja já negociado é de 75,403 milhões de toneladas.

     A venda para 2019/20 subiu de 98,7% no início de novembro para 98,9%. A comercialização está acelerada na comparação com o ano anterior, quando o índice era de 97,5%, e também supera a média normal para o período, de 96%.

     Com a safra projetada em 125,339 milhões de toneladas, o total já negociado por parte dos produtores chega a 123,9 milhões de toneladas.

     Nesta semana, o mercado brasileiro praticamente travou e os preços recuaram nas principais praças do país. Os produtores focam no plantio e os compradores saíram do mercado. Os contratos futuros recuaram em Chicago, após cinco semana acumulando ganhos e o dólar perdeu terreno, seguindo o exterior e projetando bom fluxo de recursos internos.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA