Mercado de milho deve ter dia calmo nos negócios no Brasil

216

     Porto Alegre, 9 de dezembro de 2020 – O mercado brasileiro de milho deve ter um dia calmo nos negócios, com consumidores bem posicionados em estoques para atender as demandas de final de ano. No cenário internacional a Bolsa de Chicago opera em alta, buscando recuperação antes as perdas da última sessão.

     Ontem (8), o mercado brasileiro de milho teve um dia de cotações pressionadas na maior parte das regiões. Porém, o limite de alta alcançado no milho na B3, no mercado futuro, surpreendeu e deu sustentação aos preços em algumas praças, com destaque para São Paulo, onde os valores subiram. Houve menor fixação de oferta em algumas regiões, o que deu suporte aos preços.

     Mas, em linhas gerais, os consumidores de maior porte ainda sinalizam para algum conforto em seus estoques, e também não atuaram ativamente no decorrer da terça-feira, como coloca o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias. E isso pesa sobre os preços.

     No Porto de Santos, o preço ficou em R$ 69,00/74,00 a saca. No Porto de Paranaguá (PR), preço em R$ 69,00/74,00 a saca.

     No Paraná, a cotação ficou em R$ 70,00/73,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 69,00/70,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 72,00/73,50 a saca.

     No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 83,00/85,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 66,00/70,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 69,00 – R$ 71,00 a saca em Rio Verde – CIF. No Mato Grosso, preço ficou a R$ 63,00/67,00 a saca em Rondonópolis.

CHICAGO

* Os contratos com vencimento em março operam a US$ 4,21 1/4 por bushel, com alta de 1,50 centavo de dólar, ou 0,35%, na comparação com o fechamento anterior

* O mercado se recupera das perdas de ontem, com os investidores posicionando carteiras frente ao relatório de dezembro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que será divulgado nesta quinta, às 14 horas (horário de Brasília).

     Os estoques de passagem da safra 2020/21 dos Estados Unidos devem ser apontados em 1,697 bilhão de bushels, ante os 1,702 bilhão estimados no mês passado.

     A previsão é de que os estoques finais de passagem da safra mundial 2019/20 sejam apontados em 302,7 milhões de toneladas, abaixo dos 303,3 milhões indicados no mês passado. Para a safra 2020/21 a estimativa é de que os estoques finais globais fiquem em 289,3 milhões de toneladas, aquém das 291,4 milhões de toneladas indicadas em novembro.

     A safra de milho do Brasil 2020/21 deverá ser indicada em 109,1 milhões de toneladas, contra as 110 milhões de toneladas estimadas no mês passado. O USDA também tende a reduzir a previsão de safra da Argentina 2020/21 de 50 milhões de toneladas para 49,25 milhões de toneladas.

* Ontem (8), os contratos de milho com entrega em março fecharam a US$ 4,19 3/4, com baixa de 4,25 centavos, ou 1%, em relação ao fechamento anterior.

CÂMBIO

* O dólar comercial registra desvalorização de 0,54% a R$ 5,1030.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia encerraram mistas. Xangai, -1,12%. Tóquio, +1,33%.

* As principais bolsas na Europa operam mistas. Paris, +0,16%; Frankfurt, -0,36% e Londres, +0,23%.

* O petróleo opera com ganhos. Janeiro do WTI em NY: US$ 45,71 o barril (+0,24%).

* O Dollar Index registra baixa de 0,15%, a 90,83 pontos.

AGENDA

– A posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana passada será publicada às 12h30 pelo Departamento de Energia (DoE).

– Definição da taxa Selic – Copom/BC, após o fechamento do mercado.

—–Quinta-feira (10/12)

– Reino Unido:  A balança comercial de outubro será publicada às 4h pelo departamento de estatísticas.

– Reino Unido: O índice de produção industrial de outubro será publicado às 4h pelo departamento de estatísticas.

– Atualização das estimativas para a safra brasileira de grãos em 2020/21 – Conab, 9hs.

– Levantamento Sistemático de Produção Agrícola de novembro – IBGE, 9hs.

– Eurozona:  A decisão de política monetária será publicada às 9h45 pelo Banco Central Europeu (BCE).

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 10h30min.

– EUA: O índice de preços ao consumidor de novembro será publicado às 10h30 pelo Departamento do Trabalho.

– Relatório de novembro para oferta e demanda mundial e norte-americana – USDA, 14hs.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (11/12)

– Alemanha:  A versão revisada do índice de preços ao consumidor de novembro será publicada às 4h pelo Destatis.

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da

Agricultura, no início do dia.

– EUA: O índice de preços ao produtor de novembro será publicado às 10h30 pelo Departamento do Trabalho.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

– Estimativa para a produção global de café – USDA, 17hs.

– Levantamento sobre a evolução do plantio de soja no Brasil – SAFRAS, na parte da tarde.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA