Mercado de milho deve fechar a semana com lentidão nos negócios

229

     Porto Alegre, 11 de dezembro de 2020 – O mercado brasileiro de milho deve fechar a semana com negociação lenta e preços estáveis no Brasil. O dólar sobe frente ao real, mas o ritmo de comercialização deve seguir fraco, com os agentes bem posicionados de estoques.

No cenário internacional a Bolsa de Chicago opera em queda, ainda refletindo os dados do relatório do USDA.

     Ontem (10), o mercado brasileiro de milho teve uma quinta-feira de preços estáveis nas principais regiões. E o dia foi calmo na comercialização de maneira geral, como indica o consultor de SAFRAS & Mercado, Paulo Molinari.

     No Porto de Santos, o preço ficou em R$ 69,00/75,00 a saca. No Porto de Paranaguá (PR), preço em R$ 69,00/73,00 a saca.

     No Paraná, a cotação ficou em R$ 68,00/71,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 70,00/72,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 74,00/75,00 a saca.

     No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 82,00/85,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 66,00/69,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 67,00 – R$ 70,00 a saca em Rio Verde – CIF. No Mato Grosso, preço ficou a R$ 64,00/67,00 a saca em Rondonópolis.

CHICAGO

* Os contratos com vencimento em março operam a US$ 4,19 1/4 por bushel, com baixa de 2,00 centavos de dólar, ou 0,47%, na comparação com o fechamento anterior

* O mercado mantém o tom negativo da quinta-feira, quando foi pressionado pelo relatório de oferta e demanda de dezembro de Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que apontou estoques finais de passagem para a safra 2020/21 do país em 1,702 bilhão de bushels, sem alterações frente ao mês passado, enquanto o mercado esperava um número de 1,697 bilhão de bushels.

* Para a safra global 2019/20, os estoques finais foram projetados em 303,42 milhões de toneladas, contra as 303,33 milhões de toneladas apontadas no mês passado, enquanto mercado apostava em um número de 302,7 milhões de toneladas.

* Ontem (10), os contratos de milho com entrega em março fecharam a US$ 4,21 1/4, com baixa de 2,50 centavos, ou 0,58%, em relação ao fechamento anterior.

CÂMBIO

* O dólar comercial registra valorização de 0,41% a R$ 5,062.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia encerraram em baixa. Xangai, -0,77%. Tóquio, -0,39%.

* As principais bolsas na Europa operam em baixa. Paris, -1,10%; e Londres, -1,01%.

* O petróleo opera com perdas. Janeiro do WTI em NY: US$ 46,77 o barril

(-0,02%).

* O Dollar Index registra alta de 0,17%, a 90,98 pontos.

AGENDA

– EUA: O índice de preços ao produtor de novembro será publicado às 10h30 pelo Departamento do Trabalho.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

– Estimativa para a produção global de café – USDA, 17hs.

– Levantamento sobre a evolução do plantio de soja no Brasil – SAFRAS, na parte da tarde.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA