BCE permanece pronto para ajustar instrumentos se necessário, diz ata

274

     Porto Alegre, 5 de janeiro de 2021 – O Conselho do BCE reiterou que “está disposto a ajustar todos os seus instrumentos” para que a inflação caminhe em direção a meta de forma sustentada e em linha com a simetria. “Isso também pode incluir possivelmente o corte da taxa de depósito”, hoje em -0,5%. “O Conselho do BCE também continuará a monitorar os efeitos da taxa de câmbio nas perspectivas de inflação”.

     Os membros concordaram que as perspectivas para o lançamento de vacinas são encorajadoras, mas “a pandemia continua a representar sérios riscos” para a zona do euro. “O ressurgimento de casos de covid-19 e as medidas de contenção associadas restringiram significativamente a atividade econômica da zona do euro”.

     Por fim, os membros afirmaram ser possível que “a segunda onda da pandemia não tornasse a crise mais profunda como um todo, mas a tornasse mais prolongada do que o previsto anteriormente”, com danos mais duradouros a uma série de setores, maiores riscos de insolvências e desemprego e efeitos de cicatrização mais prolongados devido ao atraso na recuperação.

     As perspectivas de inflação a médio prazo também não estão em linha com o objetivo do Conselho do BCE, diz a ata. Assim, “o ambiente atual justifica uma recalibragem dos instrumentos de política para salvaguardar as condições de financiamento favoráveis”. As informações são da Agência CMA.

    Revisão: Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA