Com dólar e NY fortes, preço doméstico do algodão volta a bater recorde

198

     Porto Alegre, 22 de janeiro de 2021 – A combinação de ganhos expressivos no câmbio e na Bolsa de Nova York melhoraram a competitividade de fibra brasileira e garantiram um novo recorde para as cotações. A indicação média no CIF de São Paulo ficou em R$ 4,43 por libra-peso no dia 21 de janeiro, com alta de 0,23% em relação ao dia anterior. Comparado ao mesmo período do mês e do ano anterior, as elevações são de 16,0% e de 63,1%, respectivamente.

     No FOB exportação do porto de Santos/SP, a pluma ficou em 81,86 centavos de dólar por libra-peso (c/lb) nesta quinta-feira (21), com queda 1,2% em relação à véspera. Ante ao contrato de maior liquidez negociado na Ice Futures (março/2021), a fibra brasileira era cotada por um valor 0,9% inferior. No dia anterior, estava 1,1% abaixo, e há uma semana, era 0,2% inferior.

     As exportações de algodão do Brasil renderam US$ 309,333 milhões em janeiro (10 dias úteis), com média diária de US$ 30,933 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 200,46 mil toneladas, com média diária de 20,046 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 1.543,10.

     Em relação a janeiro de 2020, houve alta de 40,26% no valor médio diário da exportação, ganho de 42,80% na quantidade média diária exportada e desvalorização de 1,77% no preço médio. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA