Alguns membros questionaram estímulo monetário elevado – Ata do Copom

156

     Porto Alegre, 26 de janeiro de 2021 – Ao discutir os riscos em torno do cenário básico para a inflação, o Comitê de Política Monetária (Copom) observou que o risco fiscal elevado segue criando uma assimetria altista, cujo impacto está relacionado ao grau apropriado de estímulo. Por isso, alguns membros questionaram se ainda seria adequado manter o nível “extraordinariamente elevado” desses estímulos, frente à recente normalização da economia doméstica.

     Segundo a ata da reunião de janeiro, divulgada hoje, esses membros julgam que o Copom deveria considerar o início de um processo de normalização parcial, reduzindo o grau “extraordinário” dos estímulos monetários, que passou a ser adotado desde o encontro do Comitê em maio de 2020.

     O documento lembra que, de lá para cá, observou-se a inversão do choque desinflacionário ocorrido no início do ano passado, a reversão da trajetória de queda das expectativas de inflação e a redução da ociosidade econômica, aproximando a projeção do cenário básico da meta de inflação no horizonte relevante. As informações são da Agência CMA.

     Revisão: Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA