Estoques de milho acima do esperado pelo mercado pressionam cotações em Chicago

232

Porto Alegre, 9 de fevereiro de 2021 – A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou a sessão de hoje com preços significativamente mais altos. O mercado repercutiu o relatório de oferta e demanda de fevereiro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que apontou números para os estoques finais do país e do mundo bem acima dos previstos pelo mercado.

Os Estados Unidos deverão ter estoques finais em 2020/21 de 1,502 bilhão de bushels, abaixo dos 1,552 bilhão indicados no mês passado, mas acima da expectativa do mercado, que esperava um número de 1,363 bilhão de bushels.

Os estoques finais da safra mundial 2020/21 foram projetados em 286,53 milhões de toneladas, acima das 283,83 milhões de toneladas indicados no mês passado, enquanto mercado apostava em um número de 280 milhões de toneladas. O USDA estimou a safra global 2020/21 em 1.134,05 milhão de toneladas, acima das 1.133,89 milhão de toneladas indicadas em janeiro.

A safra dos Estados Unidos 2020/21 foi mantida em 360,25 milhões de toneladas. A estimativa de safra brasileira é estimada em 109 milhões de toneladas, sem alterações ante o mês passado, enquanto o mercado esperava safra de 108,7 milhões de toneladas. A produção da Argentina deve atingir 47,5 milhões de toneladas, sem modificações ante janeiro, enquanto o mercado previa safra de 47,2 milhões de toneladas.

Os contratos de milho com entrega em março/21 fecharam a US$ 5,56 1/4, baixa de 7,50 centavos de dólar, ou 1,33%, em relação ao fechamento anterior. A posição maio de 2021 fechou a sessão a US$ 5,54 por bushel, recuo de 7,75 centavos de dólar, ou 1,37%, em relação ao fechamento anterior.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA