Quadro limitado de oferta deve sustentar preços do milho no Brasil

203

     Porto Alegre, 24 de fevereiro de 2021 O quadro de oferta limitado pelas dificuldades de logística para o escoamento do milho deve garantir sustentação aos preços nesta quarta-feira. No cenário internacional, a Bolsa de Chicago estende os ganhos da última sessão.

     Ontem (23), o mercado brasileiro de milho registrou preços de estáveis a mais altos. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Paulo Molinari, o avanço da colheita da soja e dificuldades de logísticas continuam afetando o escoamento. No dia de hoje, os preços ficaram mais altos em algumas praças de comercialização da Região Sudeste, principalmente.

     No Porto de Santos, o preço ficou em R$ 82,00/90,00 a saca. No Porto de Paranaguá (PR), preço em R$ 82,00/88,00 a saca.

     No Paraná, a cotação ficou em R$ 80,00/82,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 85,50/86,50 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 86,50/88,00 a saca.

     No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 84,00/85,50 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 75,00/77,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 75,00 – R$ 77,00 a saca em Rio Verde – CIF. No Mato Grosso, preço ficou a R$ 73,00/74,00 a saca em Rondonópolis.

CHICAGO

* Os contratos do milho com vencimento em maio operam com alta de 2,50 centavos, ou 0,45%, neste momento, cotados a US$ 5,55 por bushel.

* O mercado busca suporte na boa demanda para o cereal norte-americano, na expectativa de novas compras pela China, avaliando também o atraso no plantio da safrinha no Brasil.

* Ontem (23), a posição maio de 2021 fechou a sessão a US$ 5,52 1/2 por bushel, ganho de 2,00 centavos de dólar, ou 0,36%, em relação ao fechamento anterior.

CÂMBIO

* O dólar comercial registra desvalorização de 0,79% a R$ 5,3990.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia encerraram em queda. Xangai, -1,99%. Tóquio, -1,61%.

* As principais bolsas na Europa operam em alta. Paris, +0,23%; e Londres, +0,29%.

* O petróleo opera em alta. Abril do WTI em NY: US$ 62,26 o barril (+0,95%).

* O Dollar Index registra queda de 0,10%, a 90,08 pontos.

AGENDA

– A posição dos estoques de petróleo dos EUA até sexta-feira da semana passada será publicada às 12h30min pelo Departamento de Energia (DoE).

– Resultado financeiro da Petrobras.

—–Quinta-feira (25/02)

– IGP-M de fevereiro – FGV, às 8hs.

– Produção global de grãos – CIG, na parte da manhã.

– EUA: A segunda leitura do Produto Interno Bruto (PIB) do quarto trimestre de 2020 será publicada às 10h30 pelo Departamento do Comércio.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 10h30min.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

– Resultado financeiro da BRF e do Minerva.

—–Sexta-feira (26/02)

– Japão: A leitura preliminar da produção industrial de janeiro será publicada na noite anterior pelo Ministério da Economia, Comércio e Indústria.

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga às 9h os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad contínua), que traz a taxa de desocupação referente a dezembro.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

– Evolução da colheita de soja no Brasil – SAFRAS, na parte da tarde.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA