Café esboça reação em NY, mas tem 5a sessão de perdas, ainda com ajuste técnico

177

     Porto Alegre, 04 de março de 2021 – A Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) para o café arábica encerrou as operações desta quinta-feira com preços mais baixos.

     É a quinta sessão seguida de perdas. E mais uma vez o mercado até esboçou uma subida, mas voltou ao terreno negativo. Segue o movimento de correção técnica, com realização de lucros, depois que o arábica atingiu o patamar mais elevado desde setembro de 2017 ao final de fevereiro. As indicações de condições climáticas favoráveis no Brasil, com boas chuvas e temperaturas amenas, o que atenua as preocupações com a quebra da safra de 2021, seguem como aspecto baixista. Porém, o mercado ainda segue acima da linha de US$ 1,30 a libra-peso, patamar técnico importante que pode ser testado.

     A boa alta do petróleo e a redução das exportações mundiais em janeiro, conforme dados da Organização Internacional do Café (OIC), foram aspectos de sustentação, mas não evitaram mais uma sessão de correção técnica. As exportações de café dos países membros e não-membros da OIC totalizaram 10,205 milhões de sacas de 60 quilos em janeiro de 2021, quarto mês da safra mundial 2020/21 (outubro/setembro), contra 10,592 milhões de sacas registradas no mesmo mês de 2020, queda de 3,6%.

     As exportações acumuladas dos quatro primeiros meses da safra 2020/21 (entre outubro de 2020 e janeiro de 2021) somaram 41,876 milhões de sacas, aumento de 3,7% em relação ao mesmo período de 2019/20, quando foram embarcadas 40,376 milhões de sacas.

    Conforme a OIC, o Brasil exportou 3,107 milhões de sacas de café em janeiro, contra 3,544 milhões de sacas no mesmo mês de 2020, queda de 12,3%. Já entre outubro de 2020 e janeiro de 2021, o maior produtor mundial exportou 16,062 milhões de sacas de café, contra 13,188 milhões de sacas no mesmo período de 2019/20, alta de 21,8%.

     Os contratos com entrega em maio/2021 fecharam o dia a 132,15 centavos de dólar por libra-peso, com baixa de 0,65 centavo, ou de 0,5%. A posição julho/2021 fechou a 134,05 centavos, perda de 0,70 centavo, ou de 0,5%.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA